Coluna

Fantasmas do Laranjeiras

- Athaliba, ocê gosta de filmes de terror? Gosta de sentir aquela sensação de arrepio pelo corpo? Ou tem medo de assombrações? Se ocê, quando criança, andou no trem-fantasma em parque de diversões, então estará imunizado contra fantasmas dos últimos ex-governadores do Rio. Foi reaberto novo período de visitação no Palácio Laranjeiras, moradia oficial do governador do Estado do Rio de Janeiro, assim como no Palácio Guanabara, local de trabalho do mandatário fluminense. Mas, lá, infelizmente, nas últimas décadas, tem sido usado para maquiavélicas ações de corrupção. E acho até que cariocas vem gostando de tomar na tarraqueta sem lubrificante.

- Phorra, Marineth, me livra de assombrações e não seja tão sarcástica, mordaz, satírica.

Fantasmas de ex-governadores presos por corrupção e da edição do maldito AI-5 são aspectos assombrosos que podem aterrorizar visitantes do Palácio Laranjeiras. Foto divulgação
Fantasmas de ex-governadores presos por corrupção e da edição do maldito AI-5 são aspectos assombrosos que podem aterrorizar visitantes do Palácio Laranjeiras. Foto divulgação

- Qualé, Athaliba, Dos seis ex-governadores do Rio alvos da justiça, cinco deles já viram o sol nascer quadrado na cadeia. Apenas o que foi afastado do cargo há pouco mais de um ano, o ex-juiz federal Wilson Witzel, não experimentou o “cheirinho” da prisão. Ainda. O Pezão - Luiz Fernando - tá preso em casa com tornozeleira eletrônica. Já o Sérgio Cabral acumula 332 anos, cinco meses e 16 dias de prisão, trancafiado no Complexo Penitenciário de Gericinó.

- Marineth, por favor, reserve pequeno espaço no final dessa lista de ex-governadores do Rio presos para eu contar sobre o fantasma do AI-5 gerado no Palácio Laranjeiras, tá?

- Athaliba, o espaço tá reservado para falar do instrumento de arbitrário do regime (1964-1985), que o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), natural de Petrópolis, recentemente pediu a sua reedição e, por conta disso, teve prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal – STF.

- Muito bem, Marineth!

- Mas, Athaliba, sobre ex-governadores presos, o Wellington Moreira Franco passou apenas quatro noites na prisão e responde aos crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro em liberdade. Na ocasião da prisão dele, também foi preso o Michel Temer, entre outros. Já Anthony Garotinho foi preso cinco vezes. A sua mulher, Rosinha, ficou presa por uma semana. Ele e ela tão em liberdade, respondendo na justiça por corrupção, participação em organização criminosa e falsidade na prestação das contas eleitorais.

- Marineth, toma fôlego. Ocê tem piripaque quando fala de políticos corruptos e descarrega tudo por hora a fio curvada no vaso sanitário. Nem precisa tomar relaxante para prisão de ventre.

- Pode deixar Athaliba. De tanto levar pancada já tô imunizada contra isso. Apenas gostaria de saber qual o fantasma preferido dos ex-governadores. A parcela feminina do público visitante preferirá o Pezão, o Cabral, o Moreira Franco ou o Garotinho? E os homens terão delírios fantasmagóricos pela Rosinha? Será possível vislumbrar as noites de amor do casal Garotinho e Rosinha nos recantos mais inimagináveis do palacete? O Rio tá numa pindaíba tão absurda que não tem escrúpulo para fazer finanças, né?

- Marineth, o trem é doido. O atual governador em exercício, Cláudio Castro, que é cantor católico integrante da Renovação Carismática e paulistano de Santos, apela ao sobrenatural para botar alguns trocadinhos no cofre, sob a benção do Partido Social Cristão, o qual é filiado.

- Athaliba, o seu espaço para falar do AI-5 tá aberto. Preencha-o.

- Marineth, pouco antes da meia-noite de 13 de dezembro de 1968, no Palácio Laranjeiras, foi decretado o ato de terror mais temível da ditadura civil-militar, quatro anos e oito meses após o golpe de 1964. De lá, na voz do locutor Alberto Curi, ao lado do então “ministro” da justiça, Gama e Silva, o Ato Institucional nº 5 ecoou por toda a pátria amada. O AI-5 fora preparado na reunião do “presidente” Costa e Silva com integrantes do Conselho de Segurança Nacional e principais chefes militares no majestoso Palácio Laranjeiras.

- Athaliba, a partir daí aumentou a violência praticada pelos militares. Elevou ao extremo o patamar de arbítrio do regime, né? Em 1969, ano em que ocê começou no jornalismo, no Correio da Manhã, a jornalista e dona da publicação, Niomar Moniz Sodré Bittencourt, foi presa e teve os direitos políticos suspensos. Outros seis jornalistas foram acossados pelo regime. É que o jornal teve postura crítica à ditadura desde o golpe, o contrário de O Globo e da Folha de São Paulo.

- Sim, Marineth. O AI-5 teve efeito devastador à pátria amada, cujos estragos econômicos, culturais e sociais ainda sentimos até hoje e que podem perdurar por mais tempo, agravados pelo governo do mito pés de barro. Que visitantes ao Palácio Laranjeiras não sejam assombrados pelos fantasmas, tendo depois que recorrer a psiquiatras para se livrar da síndrome do terror.

Lenin Novaes

108 Posts

Crônicas do Athaliba

LENIN NOVAES jornalista e produtor cultural. É co-autor do livro Cantando para não enlouquecer, biografia da cantora Elza Soares, com José Louzeiro. Criou e promoveu o Concurso Nacional de Poesia para jornalistas, em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade. É um dos coordenadores do Festival de Choro do Rio, realizado pelo Museu da Imagem e do Som - MIS

Comentários