12,Nov
Cidades

Simulado de rompimento de barragem em Itabira está previsto para o final de junho

Defesa Civil espera que aproximadamente 11 mil pessoas participem da simulação

 

Barragem do Itabiruçu armazena aproximadamente 223 milhões de metros cúbicos de rejeito (Foto: Reprodução/YouTube)

Itabira, cidade berço da Vale, vive hoje em expectativa e medo do rompimento de barragens. O município possui o maior número de barragens e as que acumulam o maior volume de material – rejeito de minério. Só a barragem do Itabiruçu armazena aproximadamente 223 milhões de metros cúbicos e está localizada acima de uma das regiões mais populosas do município.

De acordo com o que disse o coordenador-adjunto da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Flávio Godinho durante coletiva a imprensa, mais de 11 mil pessoas devem participar do simulado no dia 29 de junho, às 15h. Mas, segundo ele as barragens do município estão em “situação de normalidade” e a simulação será apenas para treinamento da população, quando ficarão conhecendo as rotas de fuga e as áreas de segurança para o caso de rompimento.

“Não há de se falar em evacuação. As barragens permanecem em situação de normalidade. Esse trabalho é uma oportunidade para que as pessoas saibam as rotas de fuga os pontos de encontro e os locais que essa mancha poderia chegar”, afirmou Godinho.

O município tem 15 barragens cadastradas na Agência Nacional de Mineração (ANM) e todas pertencem a Vale. As barragens de Itabiruçu, Pontal, Rio de Peixe e Conceição, totalizam juntas 401 milhões de metros cúbicos de rejeitos, 33 vezes maior do que a que se rompeu em Brumadinho em 25 de janeiro, quando deixou 240 mortos e 30 desaparecidos.

No mesmo dia do treinamento haverá pela manhã uma reunião entre integrantes da força-tarefa que dará suporte na cidade e moradores da zona de mancha.

No encontro, serão discutidas as ações e procedimentos a serem adotados. Participarão representantes do Ministério Público, Defesa Civil estadual e municipal, Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Itabira e funcionários da Vale.

As pessoas com dificuldade de locomoção serão ajudadas pelo Corpo de Bombeiros até o ponto de encontro marcado. Outras atividades irão acontecer nas escolas do município, principalmente nas que estão dentro da área de mancha para que as informações cheguem ao maior número de famílias possíveis.

Aplicativo

Foi anunciado ainda pelo coordenador-adjunto que a Vale e a Defesa Civil irão disponibilizar para a população de Itabira um aplicativo para smartphones. Através dele será possível saber a projeção de rejeitos caso haja o rompimento de alguma barragem. O sistema contará com tecnologia de localização em tempo real.

Comentários